Cenário para a Segurança da Informação em 2015

Cenário para a Segurança da Informação em 2015

O ano passado foi marcado por grandes vulnerabilidades que implicaram no crescimento da discussão sobre o setor de Segurança da Informação. E, em 2015, a atenção ao tema deve ser maior, pois a luta entre cibercriminosos e profissionais para protegerem empresas e usuários contra ataques virtuais continuará ainda mais forte e presente na realidade de todos. 

Por isso, um dos fatores que deve despertar a atenção das empresas é o aumento de ataques DDoS (negação de serviço), devido ao crescente número de servidores Unix comprometidos e a ampla largura de banda alcançada nessas ofensivas. Neste ano, essas iniciativas serão cada vez mais comuns e poderão ser mais intensas, o que pode implicar na operação de computadores, serviços e qualquer dispositivo conectado à Internet. E, com elas, os criminosos virtuais podem comprometer desde governos, organizações e usuários comuns; até tirar proveito das vulnerabilidades para ganhos financeiros.

Por outro lado, nesse ano, veremos também o avanço no aprendizado de máquinas, que passarão a utilizar ainda mais o Big Data para criar novas soluções contra ataques virtuais. Com essa nova plataforma, as empresas poderão, mais do que reagir os ataques, mudar o cenário de cibersegurança, uma vez que ajudará na prevenção das ameaças online. Tal alteração pode causar uma queda no impressionante número de informações perdidas anualmente – somente no ano de 2013, por exemplo, foram mais de 552 milhões de identidades expostas1.

Além disso, também teremos as empresas e tecnologias atuando de forma cada vez mais intensa contra os ataques. Em 2015, contaremos com uma crescente parceria mundial entre a indústria de segurança com provedores de telecomunicações e governos para o combate do cibercrime, o que auxiliará na defesa dos mais diversos dados.

Assim, é essencial que as empresas e usuários se preocupem cada vez mais com a proteção de seus dados. Por isso, recomendo as seguintes dicas de segurança para que todos possam garantir um ano mais seguro:

  1. Sempre utilize senhas fortes com cerca de 8 caracteres, com letras, números e símbolos e nunca as reutilize em outros sites.
  2. Somente permita a administração remota dos dispositivos a partir da Internet se ela realmente for necessária;
  3. Para os desenvolvedores: Bloqueie os redirecionamentos em seu site, para não infectar os usuários;
  4. Nunca clique em links suspeitos que chegam por e-mail, redes sociais e SMS;
  5. Use um software de segurança para se proteger todos os dispositivos conectados à Internet contra cibercriminosos.

 

Fonte: CanalTech – Dado do Relatório de Ameaças à Segurança na Internet, realizado pela Symantec em 2014.