titulo

titulo

Em uma surpreendente iniciativa, em face aos eventos de espionagem, o coordenador geral do Núcleo de Credenciamento de Segurança da Casa Militar da Presidência da República, João Rufino Sales, quer incluir na grade curricular dos alunos uma disciplina que os instrua a utilização da internet segura.

A disciplina seria chamada de “Segurança da Informação e Segurança Cibernética”, ele enfoca que a “Capacitação e a mudança de processo são pontos importantes dentro de segurança da informação, não apenas a tecnologia”.

Ele explicar que é necessário a formação de novos profissionais para suprir a ausência de mão de obra nesse setor. Por meio de uma comparação lúdica ele nos esclarece que da mesma forma que ensinamos os jovens a não ficarem na chuva para não adoecer, também é necessário a precaução e a adoção de cuidados ao ingressar na internet. A meta, a longo prazo, tem por objetivo incentivar a pesquisa e o desenvolvimento, ainda carentes, de segurança cibernética e de segurança da informação em nível nacional. Sales enfatiza que os órgãos públicos de cada município devem manter constante a atualização e aprendizado de novas tecnologias, que mudam constantemente.

Em um artigo para o site DefesaNet, o especialista em segurança de TI e defesa cibernética, CEO da Aker Solutions, Rodrigo Jonas Fragola, avalia a necessidade de criação de um órgão brasileiro, que teria a atribuição de coordenar projetos de segurança da informação em níveis de infraestrutura e de operações civis. Ele ressalta a contínua capacitação e desenvolvimento de tecnologias e ensino nacional, por meio de convênios de universidades brasileiras e o Exército, como é o caso da UNB, que possui o ENaDCiber.

fonte :

http://canaltech.com.br/noticia/educacao/seguranca-cibernetica-pode-se-tornar-materia-obrigatoria-nas-escolas-brasileiras-61199/
https://seginfo.com.br/2016/03/28/os-desafios-da-estrategia-de-defesa-cibernetica-no-brasil