titulo

titulo

O cenário vem incentivando os investimentos no segmento de cibersegurança, que deve movimentar US$ 7,29 bilhões até 2019. Empresas vão apresentar soluções no Cluster de Cyber Security da LAAD Security 2016, que acontece na próxima semana no Rio de Janeiro.

A América Latina tem sido cada vez mais alvo de ataques virtuais e o Brasil é um dos principais focos. De acordo com estudo realizado pela Cybersecurity Ventures, o País perde mais de US$ 8 bilhões por ano por conta de crimes na internet, o que o torna a segunda maior fonte de cibercrimes no mundo e o número um na América Latina. 

De acordo com o levantamento, o mercado latino-americano de cibersegurança deve crescer de US$ 5,29 bilhões (valor registrado em 2014) para US$ 11,91 bilhões até 2019. Somente o mercado brasileiro de segurança digital deve atingir US$ 7,29 bilhões nesse mesmo período.Esse é o cenário de estreia do Cluster de Cyber Security da LAAD Security 2016 – Feira Internacional de Segurança Pública e Corporativa, que acontece de 12 a 14 de abril no Riocentro, Rio de Janeiro. Na oportunidade, empresas do segmento como a RustCon, Kriptus, Kudelski Security, NEC, Suntech e Unisys vão apresentar soluções segurança cibernética para o mercado latino-americano.

Especializada na criação de soluções que ajudam órgãos e instituições em todo o mundo no combate ao crime, terror e ameaças cibernéticas, a Suntech vai expor a plataforma de proteção projetada para atuar em todas as etapas do ciclo do ataque, provendo as ferramentas necessárias para vencer a batalha cibernética. A solução fornece às organizações detecção abrangente, priorização, investigação automatizada e proteção contra ataques avançados, ajudando os Centros de Operações de Segurança Cibernética (CSOC) a identificar, analisar e neutralizar ameaças mais rapidamente, prevenindo, também, ataques futuros.

Outra expositora, a Kryptus desenvolve, integra e implanta uma gama de soluções de hardware, firmware e software, incluindo desde semicondutores até sistemas complexos de gestão de processos com certificação digital, contando com um time de desenvolvimento altamente qualificado nas áreas de Engenharia Criptográfica e Segurança da Informação.

Fonte: Jornal do Brasil